Rio Senna, Paris/França - Janeiro, 2010

domingo, 23 de janeiro de 2011

FITUR, Madrid - Janeiro, 2011 ( 2ª Parte)

Já vou avisando que este post vai ser imenso, porque meu segundo dia de FITUR foi realmente incrível e quero descrever minuciosamente.
O segundo dia - aaaah! o segundo dia - saí de Alcalá de Henares super cedo e mega empolgada para não me atrasar para as entrevistas. Olhem a cara boa:

Tô chique benhê!
Um comentário a parte: Alcalá de Henares é a cidade do Miguel de Cervantes, aquele que escreveu Dom Quixote.

Workshop de Empleo y Formación

No IFEMA, me dirigi a tal Puerta Norte que foi onde aconteceram as entrevistas.
Cheguei pontualmente, arrumada, maquiada, nenhum pouco descabelada e suada. Ufa!
Quanta emoção! Enfim, a sensação de que algo começa a progredir fora da minha pátria amada: fui bem nas entrevistas - minhas primeiras entrevistas na Espanha - e inclusive elogiaram meu espanhol.

Pontooooooooooooo!

Em seguida, visitei todos os stands de universidades e cursos relacionados ao Turismo que estavam na área.
Aaaaah se eu tivesse dinheiro eu ia pagar tanto curso caro pra mim!
Mãe, paga pra mim? Brincadeira!

O segundo dia na FITUR

Dediquei o resto do meu dia a visitar os stands da Espanha que tomaram conta de 4 pavilhões.
4 pavilhões só da Espanha. Imagina?


O stand geral representando a nação espanhola
Pouco a pouco eu fui descobrindo a minha nova pátria.
O primeiro stand que eu fui, sem dúvida, foi o de La Rioja:


La Rioja: Tierra con nombre de vinho

No stand de La Rioja, me inscrevi para fazer degustação de vinho:

Cata de Vino
Antes de fazer a degustação de vinhos, fui a vários show cooking 's que estavam acontecendo nos stands de algumas províncias, dois em especial, foram os que eu mais gostei:

No stand da comunidade autônoma de Castilla y León, um restaurante da cidade de Valladolid estava fazendo a demonstração. Ao total, degustei 3 tapas e dois vinhos, um branco e um tinto.


Os dois irmãos que são donos do restaurante

A primeira tapa servida (e feita ao vivo!) se chamada "conserva de portito" e o vinho era feito de uma uva autóctona de Castilla y León (não me lembro para mencionar!)

"Conserva de portito"
Pela foto não é possível ver, mas o chef no momento do show cooking chamou a atenção para os materiais recicláveis de que foram feitos a taça, a colher e a embalagem para a tapa, assim como todo o stand de Castilla y León .

A segunda tapa, foi "una broma con la comida rápida" , finos hambugueres, batatas fritas de cor roxa e um frozen de vinho ( aqui se chama granizado, que tem um aspecto de frozen como chamamos no Brasil, ).


A terceira e última tapa, foi "uma homenagem aos quarentões pois o sabor tem como objetivo evocar sensações da infância e recordar o principal objetivo com que a tapa foi criada que é para tê-la em uma mão para comer, o vinho na outra enquanto as pessoas conversam",

Por isso, a expressão "salir de tapas" ou "salir de pinchos" , os pinchos e/ou as tapas são comidas em porções pequenas para se comer enquanto se toma algo (geralmente vinho). No Brasil, "sair pra beliscar algo".


O nome desta tapa recebe o nome de "Trigre Tostón", que pelo que eu entendi de um desenho animado de anos atrás e a embalagem, o próprio restaurante confecciona. Legal não? Pra mim foi o mais gostoso!
Além disso, recebeu o Premio de Pinchos Nacionales 2010.
O vinho oferecido neste momento foi de uma bodega chamada Bodega 21, envelhecido em barril de carvalho francês por 8 meses.

Passada essa comilança en Castilla y León, retomei meu passeio pelos stands e achei no stand das Islas Canárias o que eles chamam de Maestro Cortador. Cortador de jamón ibérico.
Jamón Ibérico - como é que eu vou explicar isso??? - é o que eles chamam uma espécie de suíno em que a pata eles cortam junto com uma parte do lombo e condimentam.
Aqui é super normal ver patas de porco penduradas em todos os supermercados, (as pessoas presenteiam as outras com isso!), mas eu ainda não tive coragem de experimentar, a não ser o do Maestro Cortador.



Passei pelo stand das Islas Canarias que tava rolando uma briga pra fazer massagem relaxante (risos) e pelo da Catalunya (onde eu moro!).
Muitas rotas de vinhos por todos os cantos espanhóis. Castilla-La Macha, Toledo (que é patrimônio da humanidade pela UNESCO) e cheguei na Comunidade Valenciana.

Comunidade Valenciana = Paella !

A paella, prato típico, é difundido em todo território espanhol, mas a paella valenciana é a conhecida como a mais saborosa.
Na verdade, paella é o nome da panela que faz o arroz com caldo de mariscos.
Posso dizer que... de fato, até agora foi a melhor paella que eu comi!


Show Cooking da paella valeciana
Encerrada a paella, corri pra degustação de vinhos no stand de La Rioja:




Pra finalizar o meu dia, comi um aperitivo maravilhoso no stand do Equador (não souberam me dizer o nome!), tomei "o melhor café do mundo" no stand da Colômbia e tirei mais uma foto tietando o stand do Brasil:




Hasta la vista babies!

FITUR, Madrid - Janeiro, 2011 ( 1ª Parte)

Cof cof, bora lá tirar a poeira desse blog!
Feliz Ano Novo pra todo mundo, cheguei do Brasil no dia 10 de Janeiro depois de passar quase um mês na terra das alterosas mofando na casa dos meus pais e bebendo com meus amigos.

Parabéns para o meu blog que fez um ano dia 11 de Janeiro!
Em comemoração ao aniversário de um ano do meu blog, aí vai, estreando a sessão de 'posts 2011', a minha experiência no evento mais esperado do ano: FITUR - Feria Internacional del Turismo que acontece em Madrid e reuniu nesta, que foi sua 31ª edição, mais de 150 países do mundo inteiro! 

Mais esperado porque? Porque na edição passada, eu já estava na Espanha, mas preferi ir a Paris e tive que aguardar por mais um ano esta oportunidade de ouro de entrar em contato com esse mundão turístico que é o evento.
Nesta edição, uma parceria entre empresas do trade e institutos de formação relacionadas ao Turismo, introduziram um "Workshop de empleo y formación" no qual os interessados escolhiam 5 empresas cadatradas previamente pelo evento para fazerem entrevista. (Gente, achei mara! Fiz entrevistas, fui bem, agora cruzem os dedos para me empregarem porque ser estrangeira em época de crise, é ainda mais difícil!)

Antes

O antes da feira já vou logo dizendo: perdi meu ônibus com passagem comprada e tudo! Que ódio!
No meio do ódio, me lembrei que por ser participante do evento, me deram 50% de desconto em algumas empresas e uma delas a Renfe , a companhia de trens espanhola.
Corri para a estação às 5 da manhã e comprei meu bilhete para um AVE , que é o trem de alta velocidade.
Cheguei em Madrid, por volta das 9 da manhã da Quinta-feira: Sem dormir e pouco 'cochilada'.
Chegar, chegar mesmo no IFEMA , já eram 11h. Até que me desloco da tal estação que estava (Puerta de Atocha) até o aeroporto Barajas - que é onde eu decidi pegar o transporte gratuito até o recinto ferial - foi praticamente outra viagem.

IFEMA , Vista da Puerta Sur, às 11h da manhã.

Vida de viajante

Vida de viajante não é fácil. Ainda mais quando se é estudante. Sem dinheiro, sem muitos luxos, início de carreira.
Hospedagem: Casa de um amigo ou alguém que pediu outro alguém pra recebê-lo. Fiquei na casa de uma amiga que mora há 40 minutos de Madrid, em Alcalá de Henares;
Alimentação: Mac Donalds, ou no caso da feira, sempre estão promovendo degustação de pratos típicos dos países o que me ajudou a promover a minha falta de fome;
Transporte: Busão fi! Sempre, ou metrô. Quando rola de pegar um shuttle, é uma felicidade só. Táxi: nem pensar, ainda mais em euros!

Ah... tem a parte que eu me arrumei, como vocês  vão poder ver pelas fotos. Simples: Tinha tudo na mala e corri para o banheiro mais próximo e saí de lá com cara de executiva.

O primeiro dia na FITUR

Meu primeiro dia na FITUR, que foi na Quinta-feira dia 20, a primeira coisa que eu tratei de fazer depois que sair da fila imensa (não tem jeito!) da credencial de profissionais do Turismo foi ir ao stand do Brasil. (Que graças à Deus, estava bem sóbrio e nada de ninguém pelado dançando samba!).
Em seguida, depois de tietar muito o stand da pátria amada, fui eu e minha malinha corredor a fora:

Passei pelo stand da Colômbia, onde te convidavam para tomar "O melhor café do mundo";
Passei pelo stand do Equador, onde tirei foto com essas lindas mocinhas abaixo:


Passei pelo stand de Porto Rico, onde estavam fazendo drinques com muuuuuuuuuuuito rum! (Tinha uma fila enoooorme, ao qual me desanimou nesta degustação!) ;

Passei pelo stand de Cuba, onde tinha um senhor fazendo artesanalmente os tão conhecidos charutos cubanos;

Passei por un dos stands do México (esse sim, estava investindo pesado na sua divulgação!) e personagens vestidos com roupas típicas;

Passei pelo stand da Africa do Sul e muito prazer, os apresento a tal Jabulani, a bola da Copa do Mundo 2010;


Passei em um stand de um país árabe, o qual não pude identificar qual o nome, mas me chamou a atenção pela dança da moça e do rapaz;



Final do primeiro dia, pois uma hora o cansaço bate e na Sexta-feira, eu teria as tais entrevistas, tinha que descansar bem.
Meu repouso, como eu havia dito, foi na casa de uma amiga, minha querida Mei Li (já falei que a Mei Li é chinesa né?) que preparou sua deliciosa comida que eu amo!

Fim do primeiro dia: Na casa da Mei .