Rio Senna, Paris/França - Janeiro, 2010

domingo, 23 de janeiro de 2011

FITUR, Madrid - Janeiro, 2011 ( 2ª Parte)

Já vou avisando que este post vai ser imenso, porque meu segundo dia de FITUR foi realmente incrível e quero descrever minuciosamente.
O segundo dia - aaaah! o segundo dia - saí de Alcalá de Henares super cedo e mega empolgada para não me atrasar para as entrevistas. Olhem a cara boa:

Tô chique benhê!
Um comentário a parte: Alcalá de Henares é a cidade do Miguel de Cervantes, aquele que escreveu Dom Quixote.

Workshop de Empleo y Formación

No IFEMA, me dirigi a tal Puerta Norte que foi onde aconteceram as entrevistas.
Cheguei pontualmente, arrumada, maquiada, nenhum pouco descabelada e suada. Ufa!
Quanta emoção! Enfim, a sensação de que algo começa a progredir fora da minha pátria amada: fui bem nas entrevistas - minhas primeiras entrevistas na Espanha - e inclusive elogiaram meu espanhol.

Pontooooooooooooo!

Em seguida, visitei todos os stands de universidades e cursos relacionados ao Turismo que estavam na área.
Aaaaah se eu tivesse dinheiro eu ia pagar tanto curso caro pra mim!
Mãe, paga pra mim? Brincadeira!

O segundo dia na FITUR

Dediquei o resto do meu dia a visitar os stands da Espanha que tomaram conta de 4 pavilhões.
4 pavilhões só da Espanha. Imagina?


O stand geral representando a nação espanhola
Pouco a pouco eu fui descobrindo a minha nova pátria.
O primeiro stand que eu fui, sem dúvida, foi o de La Rioja:


La Rioja: Tierra con nombre de vinho

No stand de La Rioja, me inscrevi para fazer degustação de vinho:

Cata de Vino
Antes de fazer a degustação de vinhos, fui a vários show cooking 's que estavam acontecendo nos stands de algumas províncias, dois em especial, foram os que eu mais gostei:

No stand da comunidade autônoma de Castilla y León, um restaurante da cidade de Valladolid estava fazendo a demonstração. Ao total, degustei 3 tapas e dois vinhos, um branco e um tinto.


Os dois irmãos que são donos do restaurante

A primeira tapa servida (e feita ao vivo!) se chamada "conserva de portito" e o vinho era feito de uma uva autóctona de Castilla y León (não me lembro para mencionar!)

"Conserva de portito"
Pela foto não é possível ver, mas o chef no momento do show cooking chamou a atenção para os materiais recicláveis de que foram feitos a taça, a colher e a embalagem para a tapa, assim como todo o stand de Castilla y León .

A segunda tapa, foi "una broma con la comida rápida" , finos hambugueres, batatas fritas de cor roxa e um frozen de vinho ( aqui se chama granizado, que tem um aspecto de frozen como chamamos no Brasil, ).


A terceira e última tapa, foi "uma homenagem aos quarentões pois o sabor tem como objetivo evocar sensações da infância e recordar o principal objetivo com que a tapa foi criada que é para tê-la em uma mão para comer, o vinho na outra enquanto as pessoas conversam",

Por isso, a expressão "salir de tapas" ou "salir de pinchos" , os pinchos e/ou as tapas são comidas em porções pequenas para se comer enquanto se toma algo (geralmente vinho). No Brasil, "sair pra beliscar algo".


O nome desta tapa recebe o nome de "Trigre Tostón", que pelo que eu entendi de um desenho animado de anos atrás e a embalagem, o próprio restaurante confecciona. Legal não? Pra mim foi o mais gostoso!
Além disso, recebeu o Premio de Pinchos Nacionales 2010.
O vinho oferecido neste momento foi de uma bodega chamada Bodega 21, envelhecido em barril de carvalho francês por 8 meses.

Passada essa comilança en Castilla y León, retomei meu passeio pelos stands e achei no stand das Islas Canárias o que eles chamam de Maestro Cortador. Cortador de jamón ibérico.
Jamón Ibérico - como é que eu vou explicar isso??? - é o que eles chamam uma espécie de suíno em que a pata eles cortam junto com uma parte do lombo e condimentam.
Aqui é super normal ver patas de porco penduradas em todos os supermercados, (as pessoas presenteiam as outras com isso!), mas eu ainda não tive coragem de experimentar, a não ser o do Maestro Cortador.



Passei pelo stand das Islas Canarias que tava rolando uma briga pra fazer massagem relaxante (risos) e pelo da Catalunya (onde eu moro!).
Muitas rotas de vinhos por todos os cantos espanhóis. Castilla-La Macha, Toledo (que é patrimônio da humanidade pela UNESCO) e cheguei na Comunidade Valenciana.

Comunidade Valenciana = Paella !

A paella, prato típico, é difundido em todo território espanhol, mas a paella valenciana é a conhecida como a mais saborosa.
Na verdade, paella é o nome da panela que faz o arroz com caldo de mariscos.
Posso dizer que... de fato, até agora foi a melhor paella que eu comi!


Show Cooking da paella valeciana
Encerrada a paella, corri pra degustação de vinhos no stand de La Rioja:




Pra finalizar o meu dia, comi um aperitivo maravilhoso no stand do Equador (não souberam me dizer o nome!), tomei "o melhor café do mundo" no stand da Colômbia e tirei mais uma foto tietando o stand do Brasil:




Hasta la vista babies!

3 comentários:

  1. hahahahaha e o que tinha no stand do Brasil?

    ResponderExcluir
  2. Me senti como se eu também tivesse visitado a Fitur em Madrid! =D

    ResponderExcluir
  3. Thais, no stand do Brasil tinha um monte de balcão de empresas do Brasil voltadas pro turismo, algumas brincadeiras virtuais promovendo sorteio e comidas típicas (exceto pão de queijo! ha-ha-ha)

    Pedro, fico feliz que tenha se sentido assim! Sinal que eu atingi o que eu queria!

    Obrigada pelos comentários!

    ResponderExcluir